Estátua de Gandhi une cultura da paz entre Salvador e Índia

A Praça da Inglaterra, no bairro do Comércio, ganha mais um elemento que ressalta um aspecto da cultura de Salvador que tem inspiração na Índia, a mais de 15 mil km de distância: a promoção da paz.  A estátua conhecida como “Gandhi Andante”, em referência ao líder pacifista indiano Mahatma Gandhi, já pode ser apreciada em meio à Praça da Inglaterra, no Comércio, um dos principais pontos de visitação do Centro Histórico da cidade. 

A estátua simula o movimento de caminhada do líder indiano e foi doada para Salvador pelo governo da Índia, via embaixada no Brasil. Existem monumentos do “Gandhi Andante” em várias cidades do mundo, como Nova Iorque, São Francisco, Nova Déli, Washington, Moscou e Budapeste. No Brasil, há exemplares localizados no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Londrina (PR).    

Com 1,94 metros de altura e pesando aproximadamente 400 kg, a peça foi esculpida em bronze pelo artista Gautam Pal e simboliza a “Marcha do Sal”, movimento liderado por Gandhi em 1930 contra a proibição da extração de sal na Índia colonial imposta pelos britânicos. Naquela ocasião, o líder e seus seguidores andaram cerca de 388 quilômetros em 25 dias, e a marcha foi duramente reprimida, com muitas pessoas sendo presas, entre elas o próprio Gandhi. 

A escolha da Praça da Inglaterra, que poderia parecer contraditória diante da dura colonização inglesa sobre a Índia, foi consensual entre representantes da Prefeitura de Salvador e da embaixada indiana. A ideia faz justiça aos ensinamentos e ao legado de Gandhi, marcados pela valorização da paz e da tolerância, bem como à história de Salvador, cheia de exemplos da comunhão das diferenças, simbolizada pelo sincretismo religioso e pelas misturas nas festas populares.