Coreógrafo baiano radicado nos Estados Unidos ministra residência para bailarinos negros de Salvador

O coreógrafo baiano Augusto Soledade vai ministrar uma residência artística online para bailarinos negros de Salvador e Região Metropolitana. A residência ocorrerá entre os dias 01 e 27 de fevereiro, com doze encontros que acontecerão via plataforma Zoom, sempre às segundas, quartas e sábados. As inscrições ocorrem entre os dias 11 e 23 de janeiro, no site do diretor do projeto, o bailarino, coreógrafo, professor de dança e diretor, Guego Anunciação (https://www.guegoanunciacao.com.br/residenciaartisticaaugustosoledade). A residência culminará em uma mostra final que será exibida online, no YouTube.

Ao todo serão selecionadas 15 pessoas para integrarem a residência, com a seleção feita a partir da análise curricular e análise de vídeo que deverá ser enviado pelos interessados no momento da inscrição. Os candidatos deverão preencher o formulário de inscrição com todas as informações necessárias dentro do prazo estabelecido de acordo com o cronograma. O resultado será divulgado no site de Guego Anunciação, no dia 28 de janeiro. No dia 29 haverá uma reunião com os artistas selecionados, que receberão um cachê para a participação no projeto.

Augusto Soledade é um artista baiano que fundou em 2008 a Brazzdance Company, em Miami. Além de criar a sua técnica de dança, o Afro Fuzion, Soledade vem sendo contemplado desde então com diversos prêmios por sua atuação na área da dança na Flórida (EUA), onde mora.

Diretor do projeto, Guego Anunciação é ativista, bailarino, coreógrafo, professor de dança, diretor, escritor e pesquisador. Pela Universidade Federal da Bahia ele tem bacharelado em Artes com Concentração em Estudos Coreográficos, Licenciatura em Dança, Especialização em Estudos Contemporâneos em Dança e Mestrado em Dança. Guego é diretor fundador da Reforma Cia de Dança e tem se dedicado a desenvolver projetos artísticos com o intuito de democratizar acessos. A sua pesquisa é sobre a inserção de corpos negros em companhias de dança no Brasil e nos Estados Unidos, publicando artigos e marcando presença em uma série de eventos internacionais. No projeto “Balé com Guego”, ele apresenta uma configuração de aulas de balé em uma perspectiva contracolonial.

Crédito da Foto – André Frutuoso