Conheça os benefícios da Ozonioterapia


A utilização do Ozônio (O3) nos tratamentos de saúde começou no século 19, quando os alemães utilizam o gás para eliminar germes e bactérias de soldados durante a primeira guerra mundial. Após este experimento, estudos científicos surgiram e hoje comprovam que o O3 medicinal combate diversas doenças inflamatórias, infecciosas e isquêmicas, prolongando a qualidade de vida de pacientes. A Ozonioterapia é responsável por melhorar a circulação, trazer mais vitalidade, aumentar a imunidade, oxigenar as hemoglobinas, fazer um detox corporal e liberar toxinas.

Além da saúde, há também benefícios para a estética. A Ozonioterapia, aliada a alimentação adequada e a outros procedimentos, trata disfunções como celulite, estrias, flacidez, rugas, olheiras, acne, cicatrizes hipertróficas, cicatrizes de acne e quelóides. “O O3 mata parasitas, é vermicida, fungicida e virucida, atua no tratamento de tonturas, labirintite, cansaço crônico, enxaqueca, sinusite, rinite. Ele melhora as dores crônicas e musculares, atua na artrite, artrose, hérnia de disco, fibromialgia, cura feridas e ajuda no tratamento da depressão e do câncer. Além disso, ele age nas disfunções estéticas”, ressalta Milena Almeida, fisioterapeuta integrativa e dermatofuncional.

A Ozonioterapia auxilia ainda na queima de gordura localizada e no processo de emagrecimento. “O Ozônio rompe a dupla camada de lipídios, potencializando a metabolização da gordura pelo organismo, também promove um detox corporal, limpando impurezas do fígado, intestino e sistema linfático, provocando uma liberação de toxinas, que causam o ganho de peso e as disfunções. Ele aumenta a produção da energia corporal e oxigena os tecidos. Tudo isso faz com que o próprio corpo encontre sua homeostase, seu equilíbrio”, explica a fisioterapeuta integrativa e dermatofuncional que lançou o VIVA, programa da Bio Health Center que une Detox Orgânico e Ozonioterapia no cuidado personalizado da saúde do paciente.

Com mais de 18 anos de experiência na área de Dermato Funcional, Milena Almeida conta que o tratamento é realizado por diversas vias de aplicação, dependendo do quadro e da necessidade individual do paciente. “Os resultados são muito duradouros e podem ser percebidos desde a primeira sessão”, destaca.

Existem poucos efeitos colaterais possíveis, segundo Milena Almeida. Ela relata que em alguns casos pode haver a piora do sintoma em um primeiro momento, porém muito rapidamente o paciente começa a sentir a melhora e os efeitos positivos da prática. “A única contraindicação para fazer o tratamento com Ozonioterapia é caso o paciente tenha uma deficiência de uma proteína específica, condição que é chamada de Favismo, muito rara na população mundial”, finaliza.