Andrea Velame

Lifestyle, Wedding and Decor

31
jan

Raíz de todo bem + A gente transforma + Marcelo Rosembaum

Texto por Ticiana Pinho | Fotos Diego Cagnato, Tatiana Cardeal,
Loiro Cunha e Lucas Cuervo Moura




Essa história não começa com “era uma vez”, mas, com a ajuda de muitos, pode até terminar com um “felizes pra sempre“.  Á frente do movimento A Gente Transforma, Marcelo Rosenbaum e Adriana Benguela formaram um escritório de design acreditando que cada espaço deve ser projetado para promover a conexão de pessoas e suas histórias com suas raízes. Num passeio entre elementos de expressão e identidade cultural, eles desejam cocriar com talentos que entendam a importância de lançar o olhar sobre passado, presente e futuro com a mesma intensidade, estando ao redor do que os move.

Ao mergulhar Brasil adentro, eles enxergaram o potencial de proteger valores culturais a partir do respeito aos saberes tradicionais. Daí surgiu o A Gente Transforma, que se uniu a uma rede de instituições e parceiros, possibilitando a metamorfose a várias comunidades e vidas. Em meio a projetos de arquitetura, conteúdo, decoração e design, o propósito dessa galera boa é ajudar a transformar o mundo num lugar mais criativo, sensível e do bem, com diversidade e multiplicidade, a partir do que é essencial. E o que é essencial? É o indispensável, o necessário, algo muito importante que não pode faltar. Do latim essentiale, que se refere à essência, ou seja, à substância, à ideia principal, o que constitui a natureza íntima das coisas. Para eles, o essencial está em objetos com função e história, mantendo o design a serviço de pessoas.

Ser essência faz a roda da vida girar pro lado do bem. É por isso que todos ficam encantados com as iniciativas do A Gente Transforma, um conceito e uma equipe muito especiais que, através da valorização das raízes, ajudam a estabelecer conexões entre os indivíduos, com o propósito de realizar sonhos e levar sorrisos por onde passam.

Aqui, trouxemos um pouquinho do amor do A Gente Transforma pra dentro da sua casa.


O que eles querem?

RESPEITAR o aprendizado que há nos saberes profundos

ENTENDER que a beleza é resultado de um processo

APRENDER com a sabedoria que habita as memórias

MANTER o design a serviço de pessoas

HONRAR a intuição da cooperação criativa

TER clareza sobre impacto e consequência

NUTRIR negócios que respeitem o indivíduo, o processo e o objeto



“UM OLHO para ver a natureza

UM CORAÇÃO para sentir a natureza

CORAGEM para seguir a natureza”.

Frank Lloyd Wright