Andrea Velame

Lifestyle, Wedding and Decor

12
jul

Painel de Inspiração + Jeff Koons

49df5bc923dbe62a6deb1fe332e75b0b

JEFF KOONS nasceu  em York, na Pennsylvania, em 1955.

Pouco se sabe sobre sua infância. Estudou pintura e paralelamente, trabalhou como corretor em Wall Street para sobreviver.

Nos anos 80, época em que, à semelhança de Andy Warhol e a sua “Factory”, Koons monta um estúdio num loft do Soho, onde emprega cerca de trinta assistentes, cada um com papel diferente na produção e divulgação do seu trabalho, método conhecido como “Art Fabrication”.

Koons apostou em marketing, contratou um consultor de imagem e se tornou conhecido por suas fotografias, rodeado de objetos alusivos às armadilhas do sucesso, assim como, as entrevistas em que se refere a si mesmo na terceira pessoa.

Os trabalhos de KOONS possuem diversas características com as questões de Arte Pós-Moderna:

  • a metalinguagem: usa da arte para falar da própria arte, principalmente quando entra na questão dos valores estéticos da cultura de massa;
  • inspiração no cotidiano: busca elementos do cotidiano das pessoas para questioná-los e discuti-los;
  • participação do público: alguns de seus trabalhos só se formam com a presença do observador, chegando, ás vezes, a ser o próprio observador;
  • espaços não convencionais: vários de seus trabalhos foram realizados dentro da mídia:
  • mistura de personagem e artista: nos trabalhos ditos “pornográficos” ele era o artista que era o próprio personagem da obra.
  • novos critérios e valores de qualidade: questiona os paradigmas, os dogmas e os valores impostos pelo mercado de arte, através de uma sutil ironia (em relação aos padrões de beleza) presentes em seus trabalhos.

Koons em suas 17 obras monumentais de estilo kitsch, expostas no palácio de Versalhes, causaram uma enorme polêmica entre os franceses, que manifestaram grande indignação por uma Pop Art, estar exposta em um lugar de Arte Erudita.