Andrea Velame

Lifestyle, Wedding and Decor

09
set

Hospital Matarazzo + Arte Contemporânea!

Lembra da comoção nacional com exposições como a de Yayoi Kusama e David Bowie? Pois prepare-se, porque vem aí mais uma mostra que promete mobilizar hordas de gente. Na próxima terça-feira (09.09), será aberta a “Made by…Feito por Brasileiros”, no local onde antigamente funcionava o Hospital Umberto Primo, conhecido como Hospital Matarazzo, em São Paulo. O FFW esteve no local nesta terça-feira (02.09) para a entrevista coletiva de imprensa e visitou o espaço, onde já estava parte das obras.

Se fosse possível apenas visitar o local — mesmo que não houvesse nenhuma obra de arte para ver —, já valeria o passeio. O hospital estava abandonado desde 1993 (repare que lá se vão 20 anos), quando foi interditado pela Vigilância Sanitária. A maior parte dos prédios do conjunto arquitetônico, inaugurado em 1905, é tombada, o que desencorajou empresas a investirem no espaço, que tem mais de 27 mil m² e edificações em estilo florentino. Como os prédios não foram reformados para a exposição, quando se entra no espaço, parece que estamos viajando no tempo e temos a impressão que a qualquer momento uma parteira de avental e chapeuzinho brancos vai cruzar os corredores carregando um recém-nascido.

Não bastasse a magnitude arquitetônica, serão expostos trabalhos de mais de cem artistas, sendo a metade deles do Brasil. São nomes importantes da arte contemporânea, que mostram trabalhos ora grandiosos e coloridos, ora simples e instigantes, em contraste com os prédios históricos. Entre os brasileiros, estão Tunga, Henrique Oliveira, Márcia e Beatriz Milhazes, Iran do Espírito Santo, Nuno Ramos e Vik Muniz. Eles dividirão espaço com Adel Abdessemed, Moataz Nasr, Jean-Michel Othoniel, Joana Vasconcelos, Francesca Woodman, Tony Oursler e Kenny Scharf, entre outros artistas estrangeiros. Um dos destaques é a obra Baba Antropofágica, de Lygia Clark, criada em 1973. Para os fashionistas, a curiosidade é ver as imagens e os vídeos feitos por Oskar Metsavaht, da Osklen. Algumas peças foram encomendadas e criadas especialmente para o espaço. Os organizadores também propuseram parcerias entre artistas estrangeiros e brasileiros, que foram instigados a elaborarem trabalhos conjuntos.

Também será lançado o livro “Made by…Feito por Brasileiros”, que reúne dois anos de pesquisa, viagens e entrevistas com os principais criativos do Brasil, como artistas, colecionadores, críticos, artistas gráficos, designers, arquitetos, profissionais de instituições de arte e de moda. São mais de 1,2 mil páginas, distribuídas em três volumes, que fazem parte da coleção internacional “Made by”, capitaneada pelo galerista e publisher parisiense Enrico Navarra. A série já retratou a cena contemporânea de China, Índia, Tailândia e países árabes com o objetivo de compreender e retratar as pessoas que fazem a cultura e o espírito criativo de um país.

Tudo isso é muito legal — e quem puder deve ir visitar, já que a exposição é temporária e será desmontada ao término do período —, mas é importante saber que o objetivo da exposição e de toda essa efervescência criativa é também chamar a atenção para o empreendimento do grupo Allard, que comprou o complexo em 2011 por R$ 117 milhões para construir um hotel de luxo assinado pelo arquiteto Jean Nouvel, além de outros projetos ainda não definidos. O grupo pertence ao americano de origem francesa Alexandre Allard, que chamou o curador Marc Pottier para organizar a exposição, que tem orçamento de quase R$ 15 milhões. Então, essa é a primeira fase “do renascimento do espaço antes do início de sua renovação e transformação em ícone do turismo e da cultura da cidade de São Paulo”, segundo o material de divulgação do evento.

Além do hotel, o que se sabe é que o empreendimento, que se chamará Cidade Matarazzo, terá um Centro de Criatividade, com cinemas, estúdios de produção para filmes, música e arte, espaços para exposições, áreas para desenvolver artesanato, moda e especialidades da culinária brasileira.

“Made by… Feito por Brasileiros” @ São Paulo
De 9 de setembro a 12 de outubro
Terça-feira a domingo, das 9h às 17h
Alameda Rio Claro, 190, Bela Vista
Entrada gratuita