Andrea Velame

Lifestyle, Wedding and Decor

18
mar

LVMH e Ambev vão produzir álcool gel

A LVMH, dona de marcas de artigos de luxo como Moët & Chandon, Tiffany & Co. e Louis Vuitton, entre outras, se uniu à luta contra o coronavírus. Três fábricas do grupo produzirão álcool gel, que será enviado gratuitamente para autoridades francesas. “A LVMH usará linhas de produção de suas marcas de perfumes e cosméticos para produzir grandes quantidades de álcool gel”, informou o grupo em comunicado. “Esses géis serão entregues gratuitamente para as autoridades de saúde”.

“A LVMH pretende ajudar a lidar com o risco de falta do produto na França e permitir que um maior número de pessoas continue a tomar medidas corretas para se protegerem da propagação do vírus”, afirmou a empresa. Um dos países europeus mais afetados pela pandemia, a França já registrou mais de 5 mil casos e 120 mortes por coronavírus. As autoridades locais adotaram medidas drásticas, como o fechamento dos tradicionais cafés e restaurantes de Paris.

No Brasil, a Ambev produzirá 500 mil unidades de álcool em gel e doará para hospitais públicos. A empresa brasileira dedicada à produção de bebidas anunciou que está produzindo etanol e 500 mil unidades de garrafas PET onde será envasado álcool em gel para doar a unidades de saúde pública em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. A empresa vai entregar cinco mil unidades para cada hospital público dos municípios citados acima.

A Anvisa autorizou as farmácias de manipulação a preparar e vender álcool em gel de forma direta para o público. As farmácias de manipulação já têm expertise para a manipulação de medicamentos e outros produtos. Com a decisão, as farmácias poderão preparar álcool etílico 70% (p/p), álcool etílico glicerinado 80%, álcool em gel, álcool etílico glicerinado 75%, água oxigenada 10 volumes e digliconato de clorexidina 0,5%. Todas essas formulas são preparações antissépticas ou sanitizantes que podem ser utilizadas no combate ao novo coronavírus. Até então, somente indústrias de cosméticos podiam fazer essa fabricação com necessidade de autorização da Anvisa. (Com informações da Folha).